SUCEN - Superintendência de Controle de Endemias

A A A Tamanho do texto

Centro de Planejamento, Epidemiologia e Educação em Saúde

Missão

Estudo da distribuição e determinantes dos fenômenos ou estados relacionados à saúde, e a aplicação dos resultados para controlar problemas de saúde, utilizando-se de dados existentes para observação do comportamento das endemias, em função de variáveis ligadas ao tempo, ao espaço e à pessoa, possibilitando o detalhamento do perfil epidemiológico, com vistas à promoção da saúde.


Departamento de Assistência os Municípios

1 - Centro de Pesquisa e de Desenvolvimento Tecnológico em Vigilância e Controle de Vetores – Ceptec-VigControl

O Ceptec-VigControl destina-se a inovação e tecnologia em equipamentos para a vigilância e controle de insetos de importância médica, com a atribuição de promover a pesquisa aplicada em inovação tecnológica, disseminação de conhecimento científico e emissão de relatório técnico de avaliações pactuadas com público interno e externo.

O Ceptec-VigControl contará com dois Núcleos Técnicos a saber:

  1. Núcleos de Bioecologia, Comportamento e Controle de Vetores – NBIO I,  II e III, implantados inicialmente dois núcleos: o NBIO I, a ser implantado no Centro Regional de São Vicente (CR2), NBIO II no Centro Regional 6 de Ribeirão Preto (CR6) e o NBIO III, no Centro Reginal de Araçatuba (CR8).

NBIO I, o CR 2 - São Vicente, conta com prédio próprio e possuiu estrutura laboratorial adequada para a identificação de Culicidae, Phlebtominae, Triatominae e Planorbidae e um insetário equipado para criação de populações de insetos. Conta com uma  equipe multiprofissional composta por: um entomologista doutora, um biólogo doutor, um biólogo mestre, um educador em saúde pública sanitarista, dois técnicos de laboratório, dois bolsistas biologistas do programa de aprimoramento da Secretaria de Estado da Saúde e duas equipes de campo (dois motoristas e seis agentes de controle de endemias) e duas viaturas. As atribuições do NBIO 1: a criação de colônias de Aedes aegypti e espécies de flebotomíneos de interesse médico sanitário; a validação de ingredientes ativos para aumento da sensibilidade de equipamentos voltados à vigilância entomológica, técnicas de aplicação e equipamentos em condições de laboratório e campo; a realização dos estudos de comportamento de atração e repelência a substâncias químicas e agentes físicos, avaliação de desempenho de equipamentos entomológicos em laboratório e em campo; emitir laudos técnico sobre o desenvolvimentos de produtos em conjunto com a CTCV, estabelecer parceria com cursos de graduação e pós-graduação para auxiliar na formação na área de controle vetorial.  NBIO II, o CR6 - Ribeirão Preto, conta com imóvel próprio e possui estrutura laboratorial adequada para a identificação de Culicidae, Phlebtominae, Triatominae, Ixodidae e Planorbidae, além um insetário equipado para criação de populações de mosquitos. Conta com um pesquisador científico doutor, um engenheiro agrônomo doutor, duas auxiliares de laboratório e uma auxiliar de apoio à pesquisa científica e tecnológica. Conta ainda com o quatro equipes de campo, com quatro motoristas e oito agentes de controle de endemias nas cidades de Araraquara, Barretos, Franca e Ribeirão Preto. As atribuições do NBIO 2: comparar métodos de coletas de mosquitos transmissores de febre amarela em diferentes estratos de matas, com o emprego de atrativos químicos; desenvolver estudos sobre a ecologia da paisagem rural e urbana onde circula o vírus da febre amarela no estado de São paulo; promover a investigação de entomopatógenos para controle do Aedes aegypti, como alternativa ao controle químico dessa espécie.NBIO III, o CR8 - Araçatuba, conta com imóvel próprio e possuiu estrutura laboratorial adequada para a identificação de Culicidae, Phlebtominae, Triatominae e Planorbidae e um insetário equipado para criação de populações de insetos. Conta com equipe formada por uma bióloga doutora, um técnico de laboratório, um oficial administativo, dois bolsistas (um biólogo e outro médico veterinário) do programa de aprimoramento da Secretaria de Estado da Saúde e uma equipes de campo (um motorista e dois agentes de controle de endemias) e uma viatura. Como atribuições do NBIO III, destacam-se: avaliação da  infectividade de vetores a partir de métodos moleculares e do hábito alimentar de vetores, permitindo o aperfeiçoamento das ações de controle, por meio de indicadores mais eficazes para direcionamento de ações. Assim sendo este núcleo terá íntimo relacionamento com CepetecGEOESTAT na produção desse conhecimento.  

Núcleo de Desenvolvimento Tecnológico de Equipamentos – NDTE:  sediado no Centro Regional de Campinas, composto por um prédio próprio com sala de ensaios, de instrumentação e oficina mecânica equipada, com pessoal técnico especializado: um engenheiro com mestrado em tecnologia de aplicação de praguicidas, um programador e um mecânico. Este núcleo tem como atribuição o desenvolvimento de equipamentos de aplicação de praguicidas; coleta e análise de deposição de gotas em alvos superficiais; coleta e análise da concentração de gotas aerossóis em ambientes; avaliação de eficácia e ação residual de produtos comerciais; estudo de automação de mecanismos, como: controle de vazão, preparação de calda e dosagem de calda. Em relação a equipamentos entomológicos terá a atribuição de desenvolver ou aperfeiçoar armadilhas ou afins para a captura de vetores.

2 - Centro de Pesquisa e de Desenvolvimento Tecnológico em Educação, Comunicação e Memória – Ceptec-Educom

O Ceptec-Educom conta com um quadro de profissionais de formação especializada, tais como: três educadores em saúde pública , dos quais dois com mestrado; um enfermeiro sanitarista - doutor; um epidemiologista doutor. Ainda conta nesta área, com cinco educadores em Saúde Pública, nos Centros Regionais estrategicamente distribuídos e 20 agentes técnicos de saúde, com formação pedagógica, com capilaridade nos 10 Centros Regionais.Possui infraestrutura instalada no Datem e dispõe de infraestrutura para sediar com sala, conexão de rede intranet, internet, telefonia e equipes de educadores e técnicos da área de educação e comunicação, podendo compartilhar a sala multiuso para reuniões, treinamentos, palestras por meio presencial ou através de web conferência dando suporte a as demais áreas e departamentos sobre os vários temas de interesse institucional.

O Ceptec-Educom tem a finalidade de aprimorar o componente didático pedagógico inseridos no Programas de vigilância e controle de vetores e de desenvolver pesquisas integradas as políticas de promoção da saúde e educação ambiental; vigilância epidemiológica e vigilância sanitária e a preservação documental do patrimônio histórico Institucional tais como: fotos, documentos, objetos e organizar os registros dos fatos a fim de   promover a acessibilidade à sociedade, evidenciando a importância na relação documento-história-memória, visando ao acesso à informação.

Como atribuições destacam-se:  a formação de profissionais de saúde para o controle de endemias; na disseminação de informações técnicas, científicas e no incremento dos meios digitais de comunicação através da incorporação de novos formatos para esta relação institucional e os diversos públicos.

 

Departamento de Epidemiologia e Orientação Técnica

1 - Centro de Pesquisa e de Desenvolvimento Tecnológico em Geoprocessamento, Informação e Estatística – Ceptec-Geoestat

O Cepetec-Geoestat conta com pesquisadores científicos capacitados na área de epidemiologia, estatística  analítica e espacial, em geoprocessamento e de tecnologia de informação. São dois epidemiologistas doutores, dos quais um com pós doutoramento, dois estatísticos doutores, um tecnologista mestre, na área de tecnologia da informação e um engenheiro doutor.

Este Centro é o responsável pelos sistemas de informação de apoio aos Programas de Vigilância e Controle, sob a responsabilidade da Sucen,  vem sendo utilizados pelos municípios do ESP e vem sendo empregados como bases para a coleta de dados primário e para as pesquisas  desenvolvidas na Instituição e público externo. Atualmente,  somam-se nove sistemas informatizados e disponíveis online e sete sistemas de acesso intrainstitucional. O aperfeiçoamento da tecnologia de coleta de dados primários, a incorporação de um SIG institucional, o desenvolvimento de plataformas para captura de dados externos e o  gerenciamento dos mesmos para aplicação em estudos epidemiológicos e para o desenvolvimento de modelos preditivos.

 

Equipe Técnica
Msc. Susy Mary Perpetuo Sampaio - Diretor Técnico de Divisão

Dra. Claudia Barleta - Assistente de Saúde

Msc. Antonio Henrique Alves Gomes  - Assistente Técnico de Divisão

Msc. Irma Teresinha Rodrigues Neves Ferreira - Assistente de Direção

Msc. Cristina Sabbo Costa - Educação - PqC

Dr. Gerson Laurindo Barbosa - Diretor Técnico de Divisão - PqC

Msc. Lucia de Fatima Henriques Ferreira - Educação - PqC

Drª Marcia Moreira Holcman - Estatística - PqC

Drª Mariza Pereira - Bióloga - PqC

Msc. Rubens Antonio da Silva - Biólogo - PqC

Drª Vera Lucia Fonseca de Camargo Neves  - Biomédica - PqC

Dra. Ana Bersusa - Enfermeira - PqC

Gisele de Souza Cabral Moraes - Engenheira

Msc. Marcos da Silva - Engenheiro

Jorge Luiz Granado - Chefe de Seção

Valéria da Silva Soares Freitas - Chefe de Seção

Regina Saturnino Godoy - Apoio Técnico

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado